Um pastor de Michigan (EUA), que já se pronunciou contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, foi pego pedindo por sexo em um aplicativo de paquera gay.

O site de notícias gays Queerty conseguiu capturas de tela da conversa em que Matthew Makela envia fotos suas para outros homens. O pastor, que é pai de dois filhos, confirmou a autenticidade da conversa, mas não quis fazer mais comentários.

Makela deixou o cargo depois que o artigo veio a público. O pastor repetidamente condenou a homossexualidade, de acordo com o Queerty.

Em um agora deletado comentário para um jornal anticasamento gay, editado por um colega pastor, Makela comparou a homossexualidade ao alcoolismo e sugeriu que os gays poderiam superar a atração pelo mesmo sexo com apoio suficiente.

“Eu amo as pessoas que têm atração sexual pelo mesmo sexo, assim como Deus”, escreveu ele. “Nós não dizemos a uma pessoa que nasce com tendências para o abuso de álcool para continuar a satisfazer seus desejos inatos. Tentamos ajudá-la em sua luta.”

Em um post no Facebook de setembro de 2014 ele novamente repetiu suas visões antigays. “Mudar a cultura começa com a mudança de nossa própria cultura de casamento e família, tomando a união matrimonial com a maior seriedade e acolhendo as crianças em nossa igreja”, escreveu, explicando que o casamento gay e o divórcio não “refletem os desejos de Deus de amor e submissão”.

Mas, no Grindr –o aplicativo de paquera para o público homossexual–, o pastor pediu para se encontrar com outros homens, explicando que tinha uma namorada e que não podia sair à noite.

“Adoro ficar pelado”, ele escreveu. “Oral e massagem. Também gosto de abraçar”, continuou ele antes de enviar mais fotos de si mesmo pelo app.

[b]Fonte: Tribuna Hoje[/b]