No início do ano de 2014, o pastor Ryan Bell, da Igreja Adventista da Califórnia, anunciou que iria viver durando um ano como ateu e escreveria um blog para relatar a experiência.

Ministro ordenado, tendo pastoreado igrejas por 19 anos, até recentemente era professor em duas universidades cristãs conceituadas além de prestar consultoria a igrejas. Aos 42 anos ele afirmou que desejava saber como é “viver sem orar, ler a Bíblia ou pensar em Deus”. Após esse anúncio, as universidades o demitiram.

[img align=left width=300]http://noticias.gospelprime.com.br/files/2014/12/xryan-bell-266×200.jpg.pagespeed.ic.QU2mNhvINq.webp[/img]Uma campanha foi criada por movimentos humanistas para ajudar a Bell a se sustentar, tendo arrecadado 27 mil dólares. Agora ele está trabalhando na PATH, uma ONG dedicada a alimentar e ajudar moradores de rua.

Ele deu uma entrevista para a NPR, rádio com grande audiência nos EUA. Entre outras coisas, comentou que está sendo criticado por muitos cristãos, que o acusam de misturar seus problemas na igreja com os propósitos de Deus. Outros dizem que ele jamais nasceu de novo. Há grupos que o acusam de ser um ateu, mas que criou um “golpe de marketing” para aparecer.

Depois de 11 meses e meio, Bell disse: “Eu não acredito que Deus existe. Acho que faz mais sentido as provas que tenho e minha experiência”.

“É uma expressão de uma parte de mim que não mudou. Ainda sou a mesma pessoa, no fundo, que eu era antes. Preocupo-me com justiça e igualdade, e quero ver oportunidades iguais em nossa sociedade “, afirmou.

Reconhece que o ateísmo é “um ajuste estranho”, e que tem dificuldade de andar com seus antigos amigos cristãos. “Antes eu queria um relacionamento mais próximo de Deus, e hoje só quero um relacionamento mais próximo com a realidade”, asseverou.

[b]Fonte: Gospel Prime
[/b]