O pastor Silas Malafaia (foto) voltou à atacar, em seus programas de televisão levados ao ar aos sábados pela Rede TV e pela TV Bandeirantes, a prática do homossexualismos e o Projeto de Lei 122/2006 que beneficia a prática homossexual.

Há pouco tempo, o vice-presidente da Assembléia de Deus da Penha, no Rio de Janeiro, causou grande polêmica ao usar preceitos científicos para desfazer certas deses defendidas pelos homossexuais:

“A ciência e a teologia concordam que Deus fez macho e fêmea e não uma sociedade de andróginos e bissexuais. Não existem cromossomos homossexuais, portanto essa tese é furada”, sentenciou.

Neste fim de semana, Malafaia desferiu novos ataques contra a turma do arco-íris reafirmando seu direito à liberdade de expressão e conclamando fiéis e todos aqueles que são a favor da família a tomarem uma atitude.

Malafaia recomenda que o povo brasileiro mande e-mails aos senadores de seus Estados como forma de pressão contra o Projeto de Lei Complementar que prevê sanções para práticas discriminatórias contra aqueles que acham “saudável” ser gay e define penas para quem discriminar sexualmente no trabalho, em ambientes públicos e privados, escolas, hotéis, bares e em caso de aluguel de imóveis.

“Bombardeiem com e-mails os senadores”, afirmou. “Os grupos homossexuais querem botar uma mordaça gay na sociedade.”

Editorial

Em seu site (www.prsilasmalafaia.com.br), o pastor Malafaia faz um alerta a sociedade em um editorial sobre o homossexualismo. Confira abaixo:

No momento em que escrevo estas palavras, encontra-se tramitando no Senado Federal um projeto de lei que propõe oficializar “a livre expressão de afetividade homossexual em locais públicos ou privados abertos ao público”.

Nós, evangélicos, em defesa da família, da moral e dos princípios bíblicos, queremos expressar o nosso protesto contra esse projeto de lei. Amamos os homossexuais, mas não concordamos com a prática do homossexualismo.

Não concordamos, porque a homossexualidade é uma rebelião consciente contra o que Deus estabeleceu na Criação. A Bíblia diz que Deus criou o ser humano como macho e fêmea, e em seguida instituiu o casamento heterossexual e a família. A civilização humana tem perdurado até hoje por causa desse princípio bíblico.

Nenhuma sociedade é mais forte do que a vitalidade de suas famílias, e a vitalidade de suas famílias depende do relacionamento entre pessoas de sexos opostos, dos relacionamentos heterossexuais.

A homossexualidade é uma distorção do que Deus criou. Tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, ela é classificada como abominação, paixão infame, perversão moral (Lv 18.22; Rm 1.26,27; 1Co 6.9,10).

Alguns afirmam que a homossexualidade é de origem biológica, genética. O indivíduo já nasceria homossexual. Porém, nenhum cientista jamais conseguiu provar isso. Na cadeia genética do ser humano, não existe nenhum fator, nenhuma ordem cromossômica homossexual. Admitir tal coisa seria o cúmulo do absurdo. Existem cromossomos que determinam o sexo feminino e cromossomos que determinam o sexo masculino.

A homossexualidade é, antes de tudo, uma questão de comportamento, de preferência. É uma conduta aprendida ou induzida. Psicólogos e psiquiatras são unânimes em afirmar que o fator mais importante para uma criança decidir sua preferência sexual é a maneira como ela é criada. Isto é mais importante do que o próprio fator genético.

Se toda prática deturpada, pecaminosa, imoral for legalizada, onde vai parar a nossa sociedade? Se a sociedade legalizar suas aberrações, ela se destruirá. Um erro moral nunca pode ser um direito civil.

Porém, qualquer homossexual que confessar o seu pecado, receber Jesus como Salvador e obedecer à Sua Palavra, poderá tornar-se um heterossexual, poderá ser recuperado e liberto. Jesus tem poder para isto.

Fonte: Brasil Wiki e site do Pr. Silas Malafaia (www.prsilasmalafaia.com.br)