O pastor Wasantha Bandara, 28 anos, que serve em uma pequena congregação do Ministério H.B.I. na vila de Udugama, distrito de Galle (sul da província, no Sri Lanka), e sua família, experimentaram uma cruel realidade no dia 2 de março.

“Por duas horas, uma multidão de mais de 200 moradores, incluindo clérigos budistas e oficiais do templo, cercaram nossa casa e nos ameaçaram para deixarmos a vila; senão morreríamos”, relatou o pastor Wasantha Bandara.

Referindo-se à identidade étnica da esposa do pastor de 24 anos, que é tamil, e à congregação de minoria tamil a qual ele ministra, a multidão sugeriu que se ele não obedecesse, poderiam surgir acusações de cumplicidade com atividades terroristas contra ele e sua igreja.

“É muito perigoso para eles ficarem”, disse um pastor sênior da igreja que pediu para não ser identificado. “Esta não foi a primeira ameaça que eles sofreram”. Em fevereiro, disse ele, três homens entraram na igreja durante a escola dominical armados com pedaços de madeira e ameaçaram o pastor Bandara.

O pastor Wasantha Bandar, sua esposa, seu bebê de 11 meses, seu filho de três anos e a avó de sua esposa, que morava na casa, foram levados para um local seguro.

Caso semelhante

Algumas horas depois, a muitas milhas de distância, no remoto distrito de Mulaitivu, região norte, um pastor conhecido apenas por Suganthan e sua família experimentaram um terrível perigo de morte.

Ele, sua esposa, seu filho e duas outras pessoas estavam dormindo dentro da igreja, na Casa de Oração Monte Sião. Nas primeiras horas da manhã do dia 3 de março o prédio foi incendiado.

Acordados pelo barulho e pelo calor das chamas, a família escapou do incêndio.

Godfrey Yogarajah, secretário-geral da Aliança Evangélica Cristã Nacional do Sri Lanka, declarou que todos os cidadãos do país têm o direito de viver sem medo de serem atacados ou ameaçados por causa de suas crenças religiosas ou etnia.

“É nossa esperança e oração que a justiça prevaleça, e os cristãos neste país possam ser livres para cultuar e praticar sua fé livres de elementos violentos”, disse ele.

Fonte: Portas Abertas