Quatro pastores que pregavam o evangelho, há vários anos em Orissa e nos vilarejos próximos, foram forçosamente impedidos de continuar seus trabalhos.

De acordo com uma notícia da Persecution Índia (www.persecution.in), na terça-feira, dia 23 de outubro, esses pastores estavam distribuindo Novos Testamentos e folhetos evangélicos para o vilarejo no distrito de Cuttack.

Eles chegaram ao vilarejo no meio da manhã, por volta das 10 horas, e começaram seu trabalho. Continuaram sem impedimento, diz a reportagem, até logo após às 14 horas.

Foi então que cerca de 15 hindus radicais repentinamente cercaram os cristãos. Os hindus gritaram com eles e usaram palavras de baixo calão, e os forçaram a ir ao templo do vilarejo. Lá, os cristãos foram sujeitos a mais injúrias.

Livramento

O plano era, segundo a Persecution India, para que os pastores tivessem seus cabelos cortados à força e fossem aspergidos com urina de vaca para serem “santificados”.

A Persecution India comentou: “Graça seja ao nosso Senhor soberano, que protegeu esses pastores como o fez com Daniel na cova dos leões. Os radicais não puderam organizar as coisas instantaneamente. Eles não tiveram alternativa a não ser compeli-los ao posto policial onde eles os entregaram… com uma falsa acusação de conversão forçada, deste modo violando o Ato de Orissa de Liberdade Religiosa”.

A polícia prendeu os pastores e os colocou sob custódia dizendo que suas acusações seriam subseqüentemente levadas a uma corte local. Em nenhum momento eles puderam falar sobre o caso.

Fonte: Portas Abertas