O patriarca ortodoxo de Moscou e de todas as Rússias, Aleksej II, fez um apelo à consciência dos cristãos do Ocidente, sobre o futuro status de Kosovo, e declarou que a vontade do Vaticano de aprofundar o diálogo com a Igreja Ortodoxa pode “encontrar sua plena expressão na proteção dos ortodoxos e dos lugares sagrados de Kosovo”.

Em entrevista divulgada nesta segunda-feira, pela imprensa de Belgrado, Aleksej II afirma que um eventual encontro com Bento XVI continua condicionado “à situação dos problemas que se apresentam à Igreja Ortodoxa russa e a Igreja Católica romana”.

No que diz respeito a Kosovo, onde “mais de 150 igrejas e mosteiros foram destruídos ou profanados”, Aleksej II explica que “é muito importante transformar a consciência cristã dos ocidentais” que “decididos a defender os direitos dos albaneses de Kosovo, não devem esquecer que a província tem uma enorme importância para os sérvios, para os quais é centro espiritual”.

Aleksej II acredita que os sérvios são vítimas “de conseqüências trágicas de uma política agressiva, que permite dois pesos e duas medidas, na busca de soluções para os problemas do mundo”.

“São perpetrados crimes monstruosos, que levam à exclusão de toda a população sérvia não albanesa da província” _ disse ainda, o patriarca, afirmando que o problema de Kosovo “não pode ser resolvido unilateralmente, sem um diálogo construtivo, que leve em consideração os interesses das duas partes.

Fonte: Rádio Vaticano