Às vésperas do prêmio de melhor do mundo da Fifa, Pelé expôs sua preferência por seu compatriota Kaká. Embora o português Cristiano Ronaldo seja o grande favorito, o ex-craque tomou partido do brasileiro e elogiou a fidelidade do meia-atacante com o seu atual clube, o Milan.

“Cristiano Ronaldo é um jogador extraordinário, que me lembra o grande George Best. E no Manchester também joga outro menino que em entusiasma, o Rooney. Mas eu prefiro Kaká. Nestes últimos anos, o Real Madrid tem tentado contratá-lo, mas ele prefere se manter fiel ao Milan e isso me parece bom. Para que sair de uma equipe onde também é tratado perfeitamente e onde pode ganhar tantos títulos?”, disse Pelé à revista Eurocalcio.

Já conhecido por fazer este tipo de crítica, o ex-craque do Santos e da seleção brasileira voltou a condenar a alta rotatividade dos jogadores pelos clubes. “Hoje são poucos que fazem como Kaká. Me decepciona muito ver atletas que mudam constantemente de equipe e sempre beijam a camisa. Nestes condições, os meninos não sabem se torcem pela equipe ou pelo jogador e é preciso lembrar um coisa: sem o amor dos meninos, o futebol morreria”, afirmou.

Após ganhar destaque no São Paulo, clube que defendeu por três anos, Kaká foi contratado pelo Milan, equipe que atua desde 2003. Defensor do discurso de amor à camisa, Pelé fez questão de relembrar as propostas que recusou quando era jogador do Santos.

“O Real Madrid, o Manchester United e a Juventus me queriam. O presidente do time italiano quase chegou a um acordo com o Santos, em que incluía para mim um pacote importante de ações da Fiat. Pensei muito em vir para a Europa, mas preferi ficar com a equipe do meu coração”, explicou.

Fonte: UOL