Um em cada dez norte-americanos (10%) aceitaria ter um chip implantado no cérebro para navegar na Internet, de acordo com um estudo realizado com 9,7 mil pessoas, elaborado pela Zogby International e pela 463 Communications.

O estudo indica ainda que uma em cada cinco pessoas aceitaria implantar um chip em crianças com 13 anos ou menos para que pudesse rastreá-las.

Cerca de 25% acreditam que a Internet pode servir como substituto a uma pessoa importante, como a namorada ou o marido.

Web “os aproximou de Deus”

O estudo propôs aos pesquisados o tema espiritualidade e internet – a maioria respondeu que a web não afeta sua espiritualidade, mas 10% disseram que a internet os aproximou de Deus. E 6% acham que houve distanciamento.

Para 14% dos pesquisados, a web é tão relevante que consideram seus perfis em sites de redes sociais uma parte importante de suas identidades.

Outro dado interessante diz respeito à troca de identidade, caso fosse oferecida a quantia de US$ 100 mil para que alguém adotasse seu nome em troca de outro. Um em cada cinco americanos aceitaria a oferta de bom grado.

Dentre os jovens de 18 a 24 anos, 34% se disseram preparados para aceitar a oferta.

Fonte: Portas Abertas