Pesquisadores do Instituto Israelense de Tecnologia, Technion, conseguiram armazenar uma versão completa da bíblia hebraica, em um quadrado de meio milímetro, uma área menor que uma cabeça de alfinete.

A ‘nanobíblia’ é uma parte de um programa educacional desenvolvido pelo Russell Berrie Nanotechnology Institute. O projeto pretende aumentar o interesse no desenvolvimento da nanociência e nanotecnologia.

O projeto foi dirigido pelo estudante de doutorado em física Ohad Zohar, conselheiro científico para programas educacionais, juntamente com o Dr. Alex Lahav, diretor do laboratório FIB no Wolfson Microelectronics Research and Teaching Center.

A nanobíblia foi escrita com um aparelho chamado de FIB, ou Focused Ion Beam (raio de íon concentrado). Com a ajuda do dispositivo foi possível enviar raios concentrados de pequenas partículas, usados para escrever em uma camada de silício coberta por uma outra de ouro, com 20 nanômetros de espessura.

“Quando enviamos o raio de partículas para um ponto na superfície, os átomos de outro saltam de sua posição, em seguida sendo entalhados na camada de silício abaixo”, explica Ohad Zohar.

“O fato de a bíblia conter muita informação (cerca de 10 milhões de bits) é a grande questão. Estamos cientes das muitas idéias para armazenamento de informações muito densas, mas quase sempre, as tentativas de guardar esse volume de informação representam grandes desafios. No final, o processo nos leva a compreender melhor o método proposto e suas limitações”, afirmam os pesquisadores da Technion.

Para ler a bíblia, que tem o tamanho aproximado de um grão de açúcar, os pesquisadores utilizam um microscópio de elétrons (scanning electron microscope, ou SEM).

“A nanobíblia demonstra a habilidade de miniaturização que temos à disposição”, diz Zohar.

Fonte: IDG Now