O presidente de uma corte de apelações chilena afirmou nesta quarta-feira que retirou a imunidade do ex-ditador Augusto Pinochet pelo seqüestro e desaparecimento de um padre espanhol em 1974.

Antonio Llido, que pertencia a um grupo oposicionista ao regime de Pinochet, desapareceu depois de ser preso por agentes da Dina, a polícia mais repressora da ditadura chilena.

A decisão coloca mais pressão legal sobre Pinochet, de 90 anos, uma semana depois de ser condenado à prisão domiciliar por crimes incluindo tortura, assassinato e seqüestro nos anos que vieram após o golpe de 1973.

A corte deve julgar, possivelmente até o fim desta quarta-feira, o pedido de Pinochet para sair sob fiança.

Pinochet perdeu a imunidade de processos judiciais –um privilégio de ex-presidentes– em vários outros casos relacionados a direitos humanos. A Justiça chilena deve decidir caso a caso se concede imunidade a ele ou não.

Cerca de 3 mil pessoas foram mortas e 28 mil sofreram tortura ao longo da ditadura chilena, que foi de 1973 a 1990.

Fonte: Último Segundo