Uma igreja católica foi destruída na China na localidade de Yutouchang, na ilha de Pingtang, Fujian. A demolição, ocorrida em 1º de setembro, foi realizada pela polícia local que, segundo a agência AsiaNews, chegou ao local com dois “bulldozers”.

Segundo as autoridades, a construção era ilegal. Alguns fiéis que tentavam evitar a demolição do templo foram agredidos pela polícia. Duas pessoas foram feridas nos confrontos.

A igreja, cuja construção foi concluída em julho de 2006, possuía uma superfície de mil m2 e custou o equivalente a 40 mil euros. A polícia advertiu que, nos próximos meses, destruirá outra igreja, que está em construção na vizinha localidade de Ao Qian.

Nos últimos anos, os 400 fiéis de Ao Qian, na maioria, pescadores, realizaram uma intensa campanha para arrecadar os cerca de 500 mil yuans necessários para a construção do templo.

A China permite a prática religiosa somente em lugares de culto registrados no Departamento de Assuntos Religiosos e considera um atentado contra a segurança, a prática de cultos em locais “ilegais”.

Em Fujian, existe uma forte comunidade católica que não aceita ser registrada, por temer o controle da Associação Católica Patriótica (a Igreja Católica oficialmente reconhecida por Pequim), que é uma entidade nacionalista, desvinculada da Santa Sé.

Fonte: Rádio vaticano