As forças de segurança egípcias identificaram os autores do assassinato de nove pessoas, oito delas cristãs coptas, no sul do Egito, e estreitaram o cerco em torno deles, disseram hoje fontes policiais.

Segundo as fontes, a busca dos agressores acontece em uma área agrícola onde poderiam estar escondidos, situada entre as localidades de Naya Hamadi, cenário do atentado, e Farshut, ambas na província de Qena, 600 quilômetros ao sul do Cairo.

As vítimas foram assassinadas na quarta-feira à noite por um homem armado, acompanhado de outras duas pessoas, que disparou a partir de um carro em movimento contra um grupo de fiéis coptas que saíam de uma igreja em Naya Hamadi, após assistir à Missa do Galo que marca o começo do Natal ortodoxo.

As fontes acrescentaram que várias pessoas foram detidas para ser interrogadas, dentro da investigação para localizar os agressores, mas disseram que nenhum dos detidos recebeu acusação formal.

A rede de televisão estatal Nile News informou, em seu site, que os três atacantes foram identificados como Mohammed Ahmed al-Kamuni, Hindawi Mohammed Sayed e Qurashi Abul Hayach, todos eles com antecedentes penais.

Fontes de segurança anônimas, citadas pela emissora, indicaram que o cerco policial se estreitou em torno do suposto esconderijo dos agressores, e que um grande número de efetivos policiais foi mobilizado nos arredores e saídas da localidade.

Além disso, a agência oficial de notícias egípcia Mena afirmou que o procurador-geral Abdel Magid Mahmoud chegou hoje a Naya Hamadi para supervisionar as investigações, e que ele deve se reunir com responsáveis policiais para se informar sobre as medidas adotadas.

Fonte: Terra