Autoridades encontraram um “documento sobre envenenamento com cianeto” durante busca na fazenda da seita polígama do Texas, entre dezenas de documentos apreendidos após uma semana de buscas.

A lista de 80 páginas sobre os bens e documentos apreendidos não afirmava se os membros da seita pretendiam usar cianeto. Mas a lista não explicava o documento e a porta-voz do Departamento de Segurança Pública Tela Mange disse não ter detalhes sobre o assunto.

Entre os documentos recolhidos estão registros escolares e médicos, inclusive com o nome da menina de 16 anos cuja ligação a um centro contra violência familiar desencadeou a ação no local.

No entanto, seu nome é idêntico ao de diversas garotas que estavam na fazenda até a chegada da polícia. Na ocasião, a menina ligou afirmando que seu marido de 50 anos a agredia e a estuprava.

Outros itens como computadores, álbuns de fotos, a foto de uma maternidade e diversas cópias do Livro dos Mórmons foram levados pela polícia.

A ação policial em Eldorado começou em 3 de abril. desde então, o Estado assumiu a custódia de 416 crianças suspeitas serem abusadas física e sexualmente.

Outras 139 mulheres deixaram voluntariamente o local, pertencente a um grupo dissidente da Igreja Mórmom, a Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (FLDS, na sigla em inglês).

“Casamento espiritual”

“Existe um padrão dominante, uma prática de doutrinar e desposar meninas menores que aceitam casamentos espirituais com membros adultos da fazenda YFZ (Yearn For Zion) e que acabam sendo abusadas sexualmente”, afirmou o investigador Lynn McFadden à Justiça.

“Da mesma forma, meninos menores que moravam na fazenda YFZ, depois de se tornarem adultos, são espiritualmente casados com meninas e se iniciam em relações sexuais com elas, e como resultado eles se transformam em agressores sexuais”, disse o investigador.

A igreja é uma seita separada dos mórmons que pratica a poligamia e o casamento com menores.

Autoridades locais afirmaram que a ação começou após serem informados de que a seita casava garotas menores de idade no local, e que havia uma cama em seu tempo onde as garotas eram obrigadas a consumar o casamento imediatamente. Um grande número de adolescentes está grávida, de acordo com os investigadores.

Warren Jeffs, o auto-denominado profeta e líder espiritual da seita, foi acusado em 2005 e em 2006 por forçar menores de idade a casar. Ele foi condenado em setembro de 2007 como cúmplice de estupro.

Fonte: Folha Online