O missionário americano foi preso nos Estados Unidos e aparece em imagens e vídeos abusando de menores.

Uma operação da Polícia Federal apreendeu imagens de pornografia infantil nos computadores da sede da ONG “Missão Novas Tribos do Brasil” em Manaus (AM) na semana passada.

O organizador da ONG cristã era um missionário americano que fora preso nos Estados Unidos no mês de maio por aparecer em fotos e vídeos abusando sexualmente de crianças possivelmente indígenas.

No Brasil a PF cumpriu 18 mandatos, sendo 11 de busca e apreensão e sete de conduções coercitivas, tanto na capital amazonense, como na cidade de Cruzeiro do Sul, no Acre.

A operação recebeu o nome de “Operação Ímpio” e contou com o apoio da agência norte-americana U.S. Immigration and Customs Enforcement (ICE) que foi a responsável pela prisão do missionário americano no aeroporto de Orlando.

No ato da prisão o missionário estava com um notebook com imagens de pedofilia e aos policiais confessou que molestou pelo menos quatro menores de idade além de ter fotografado as crianças.

Ao verificar os equipamentos apreendidos na operação no Brasil, a PF, através do delegado Dércio Carvalheda, confirma que os computadores tinham imagens de pedofilia, em alguns vídeos o protagonista era o próprio missionário americano.

“Constatamos que havia material pornográfico em computadores da instituição. O missionário, inclusive, admitiu ter protagonizado vídeos”, disse o delegado.

Membros da ONG que não concordaram com as atitudes do missionário participaram da investigação que concluiu que apenas o americano estava envolvido no crime.

A ONG “Missão Novas Tribos do Brasil” atua no país há 59 anos e nunca tinha sido envolvida em situações parecidas. “É importante ressaltar que só um dos membros da ONG estava envolvido com os crimes, tanto que outros membros colaboraram com a investigação e se mostravam surpresos, durante a investigação, com a prisão do missionário”, garantiu o delegado Rafael Caldeiras.

[b]Fonte: Gospel Prime com informações G1[/b]