Depois de 70 dias de investigação, o delegado da Polícia Federal José Edilson Souza Freitas concluiu que o padre Gabriel Félix Roger Maire foi vítima de latrocínio – roubo com morte.

O crime foi no dia 23 de dezembro de 1989, na avenida Carlos Lindenberg, em Cobi de Cima, Vila Velha. O relatório da conclusão vai ser encaminhado para o Tribunal de Justiça. Para chegar a essa conclusão, o delegado investigou as versões da igreja, da imprensa, as oficiais e as não-oficiais.

O delegado José Edilson Souza Freitas investigou ainda as supostas ameaças sofridas pelo padre. Elas foram feitas por um empresário no bairro Castelo Branco em junho; por um político, em Nova Valverde, em julho; e de forma anônima, no bairro Flexal, em outubro de 1989. Segundo o delegado, as ameaças não se concretizaram.

O delegado garantiu que após fazer uma análise técnica das versões de mando e de latrocínio acabou concluindo pela segunda.

“Foi fundamental essa análise técnica. Eu posso afirmar que o padre Gabriel foi vítima de latrocínio. Digo ainda que o padre venceu sua luta pela democracia. Os tais poderosos de Cariacica não venceram o padre Gabriel. Ele sim, foi um vencedor. O que aconteceu com ele poderia ter acontecido com qualquer um de nós”.

De acordo com o delegado José Edilson Souza Freitas, a tese de crime de mando foi sustentada pelas ameaças que o padre vinha sofrendo por sua luta pelas causas sociais. O delegado afirmou ainda que se na época do crime, os colegas que investigaram o crime tivessem tempo, provavelmente, a polêmica teria sido desfeita.

A Polícia Federal refez passo a passo da rotina do Padre Gabriel no dia 23 de dezembro daquele ano. Segundo o delegado, o religioso saiu de casa e foi se encontrar com um casal em Porto de Santana, Cariacica, por volta das 14 horas, onde ficou por duas.

De lá, padre Gabriel seguiu para Castelo Branco onde se encontrou com um homem chamado Pedro. Ele participou de uma celebração que terminou às 19h15. O padre se despediu dizendo que passaria por Cobilândia, Cobi, São Torquato com destino a Porto de Santana onde participaria de uma cerimônia de casamento.

Por volta das 19h40, a perícia foi acionada para atender um local de crime no bairro Cobi, em Vila Velha. A primeira viatura chegar ao local foi a RP 266 que era do bairro Cobilândia que passa a ocorrência, às 20h05 para a RP 329 que atendia àquela região.

Enquanto o padre seguia essa rotina, os acusados Nilson Ferreira Celestino, Fábio Nascimento da Silva e Flávio Nascimento da Silva bebiam e de drogavam em um bar no Cobi de Cima. Em determinado momento, a dona do estabelecimento se recusa a continuar servindo aos três por causa da falta de pagamento. Nervoso, Nilson fala em matar a comerciamnte, mas é demovido da idéia por Fábio.

Os acusados tinham planejado roubar um carro para assaltar uma loja em Vitória. Transtornado pela negativa da comerciante em servir mais bebida alcóolica sem dinheiro e sob efeito de drogas, Nilson joga uma pedra no carro da Emater que escapa do atentado. Atrás, vinha o padre Gabriel que acaba morto pelos suspeitos.

Fonte: Gazeta Online