Policiais da DRF (Delegacia de Roubos e Furtos) prenderam um suspeito de matar a professora de religião Vitória Lúcia Marques, 55, e deixar ferido o padre Franklin Luis Francis Catto, 41, em dezembro do ano passado, no Rio.

O crime aconteceu na rua da Passagem, em Botafogo, na zona sul.

Edimar Manoel de Oliveira, 42, conhecido como Dimas da Cruzada, também é apontado como chefe do tráfico de drogas da favela da Cruzada de São Sebastião, no Leblon (zona sul). Ele possuía 15 antecedentes criminais como roubo, tráfico de drogas, porte de armas e o homicídio da professora.

Segundo o delegado titular da DRF, Márcio Franco, o suspeito estava sendo investigado há três meses, após ter sido expulso da comunidade da Cruzada São Sebastião por traficantes da favela da Rocinha.

Oliveira estaria se preparando para retornar à favela e para isso, segundo a DRF, realizava roubo a bancos, caixas eletrônicos e estabelecimentos comerciais da zona sul. Os agentes prenderam o criminoso no interior do Hotel Condor, na rua Amaro Cavalcanti, 235, no Méier (zona norte).

Oliveira foi encaminhado para a carceragem da Polinter, onde ficará a disposição da Justiça.

Crime

A professora e o padre estavam em um Santana Quantum, na região de Botafogo, quando foram abordados por assaltantes, que atiraram. A professora foi baleada no abdômen e não resistiu aos ferimentos. Catto foi baleado no braço. Ambos voltavam de uma missa.

Com pistola e fuzis e vestidos de preto, os ladrões abordaram quatro carros em meia hora em ruas movimentadas de Copacabana e Botafogo. Roubaram dois. Na terceira investida, balearam Vitória e o padre Franklin. O carro em que eles estavam pegou fogo e explodiu, possivelmente por atingir o tanque de combustível, diz a polícia.

Dois dias após o crime a polícia prende Magno de Oliveira Paiva, também acusado de participar do crime.

Fonte: Folha Online