Membros de uma seita fanática russa que se fecharam em uma caverna há cinco meses começaram a deixar o local orientados pela polícia, depois que a estrutura rochosa passou a desmoronar, informou a imprensa local nesta sexta-feira.

“Como resultado das negociações, sete mulheres concordaram em deixar o refúgio. Depois que saíram da caverna, elas foram examinadas por um médico e constatou-se que seu estado de saúde é bom”, informou um investigador da região de Panza à agência de notícias RIA Novosti.

As negociações continuam com outras 28 pessoas que ainda permanecem na caverna, incluindo quatro crianças, segundo o oficial.

Mais cedo, um membro da administração local disse que a caverna estava desmoronando por causa da neve em processo de derretimento, e que policiais e equipes de resgate esperavam na entrada.

A seita ortodoxa se isolou com barricadas em novembro do ano passado em uma caverna perto do vilarejo de Nikolskoye para esperar o Apocalipse, que, segundo cálculos de seus membros, acontecerá em maio de 2008.

No início da semana, membros da seita haviam afirmado que deixariam a caverna no domingo da Páscoa ortodoxa, no dia 27 de abril, de acordo com Oleg Melnichenko, governador da região de Panza, localizada cerca de 500 km ao sul de Moscou.

Os seguidores da seita já haviam ameaçado se matar com uma explosão de gás na caverna se alguém tentasse tirá-los de lá.

Fonte: AFP