A polícia do Butão planeja interrogar o missionário da Gospel for Asia ( GFA), Amil Romir. O motivo? Ele exibiu para moradores de uma vila remota um filme sobre a vida de Jesus.

Depois de constatarem que muitas das pessoas que assistiram ao filme se converteram, diversos extremistas religiosos decidiram registrar uma queixa contra Amil e outros cristãos locais por causa da exibição do filme.

A acusação era de que Amil estava atraindo as pessoas ao cristianismo com o filme. A transmissão de filmes é uma prática bastante comum utilizada por missionários na Ásia.

“Pessoas de diferentes orientações e entendimentos sobre a vida deixaram suas religiões tradicionais para abraçar o cristianismo depois da apresentação dos filmes”, alegaram os extremistas à polícia.

Como o Butão não possui uma lei anticonversão, os extremistas pressionaram a polícia a agir contra Amil. As autoridades tentaram coagi-lo, concocando-o a depor.

Durante um ano o missionário pode compartilhar livremente sobre a vida e os ensinamentos de Cristo naquela área. Como resultado, pelo menos 35 pessoas decidiram seguir Jesus.

Dois missionários da GFA que trabalham na mesma área pedem orações por Amil, para que o Senhor lhe dê as palavras certas para usar quando estiver sendo interrogado pela polícia. Ele também pede orações para que polícia e extremistas conheçam Jesus através do testemunho dele.

Fonte: Portas Abertas