O pastor da Igreja Missionária Manantial Assembléias de Deus da Colômbia, Darío Gutiérrez Rodríguez, foi interpelado por tenente da Polícia Nacional enquanto ministrava cerimônia religiosa no domingo, 7 de dezembro.

O oficial teria entrado no templo abruptamente, exigindo a diminuição imediata do volume do som.

Segundo o pastor Gutiérrez, a conduta do tenente, que não apresentou ordem judicial ou administrativa, “constitui-se num claro abuso de autoridade”. A situação foi denunciada em decorrência das contínuas ameaças registradas contra igrejas cristãs de Bogotá e do restante do país.

“Estamos denunciando o policial por abuso de autoridade, impedimento e perturbação de cerimônia religiosa, bem como por agravo a uma pessoa destinada ao culto”, disse o pastor e vereador de Bogotá, Gustavo Páez.

O vereador lamentou a contínua perseguição contra comunidades cristãs, fazendo um chamado à administração distrital e ao governo nacional para que ofereçam garantias à liberdade de culto, consagrada na Constituição Política de 1991.

Gutiérrez recordou a Declaração Universal dos Direitos Humanos para afirmar que toda pessoa tem direito à liberdade de pensamento, de consciência e de religião. Esses direitos incluem a liberdade de mudar de religião ou de crença, bem como a liberdade de manifestar sua religião ou sua crença, individual e coletivamente, tanto em público como em privado, pelo ensino, a prática, o culto e a observação.

Fonte: ALC