A representante do governo polonês que afirmou que iria pedir a psicólogos que investigassem se o personagem Tinky Winky, da série “Teletubbies”, é gay voltou atrás nesta terça-feira (29).

Ewa Sowinska, ombudsman dos direitos infantis no país, disse a uma revista que o personagem que carrega uma bolsa poderia promover o homossexualismo.

Nesta terça, a porta-voz de Sowinska, Wieslawa Lipinska, afirmou à Associated Press que ela “não pediu e nem pedirá” a psicólogos para que investiguem se “Teletubbies” promove o homossexualismo.

“Eles são personagens ficcionais, não têm nada a ver com a realidade. A bolsa, as tesouras e outros acessórios que os personagens usam estão lá para criar um universo ficcional que fala direto às crianças”, disse Lipinska. “Não vamos mais tratar desse assunto.”

Sowinska é membro da Liga das Famílias Polonesas, grupo que milita contra os direitos dos homossexuais e contra o aborto.

Um episódio semelhante ocorreu nos EUA em 1999 quando uma publicação ligada ao líder evangélico Jerry Falwell sugeriu que Tinky Winky fosse gay.

Em uma nota nesta terça, a BBC – responsável pela série “Teletubbies” – negou as acusações contra o programa. “Crianças gostam de brincar com bolsas de todos os tipos e esse fascínio está refletido como o objeto favorito de Tinky Winky. Sugerir que a série tem uma motivação política é simplesmente falso.”

Também nesta terça, representantes da Comissão Européia defenderam a exibição do programa em nome da liberdade da mídia.

Fonte: G1