A população muçulmana nos Estados Unidos deverá mais que dobrar até 2030, segundo um novo relatório do Pew Forum.

Há cerca de 2,6 milhões de adultos e crianças muçulmanas nos Estados Unidos (0,8 por cento da população dos EUA) em 2010. Esse número deverá subir para 6,2 milhões (1,7 por cento) em 2030, previu o Fórum Pew Research Center on Religion & Public Life relatório liberado quinta-feira.

A maior parte do crescimento será devido à imigração e maiores taxas de natalidade entre os Muçulmanos. Espera-se que os Cristãos, no entanto, componham ainda a grande maioria da população. Mas em 2030, os muçulmanos estão previstos para serem tão numerosos quanto os judeus ou episcopais nos Estados Unidos hoje.

“A população muçulmana dobrará nos EUA, mas o relatório não pode indicar qual parte do espectro do Islamismo será praticado por Muçulmanos americanos,” destacou o pastor Joel Hunter C. de Northland, uma Igreja distribuída na Flórida Central, para o The Christian Post.

“Os Muçulmanos, assim como os Cristãos, não são um bloco uniforme de crentes. As pontes construídas ou queimadas entre o Cristianismo, o Islamismo e outras religiões são suscetíveis de afetar profundamente a sua expressão neste país e no mundo.”

Hunter foi um membro do Conselho Consultivo do presidente Barack Obama Baseado na Fé e Parcerias de Vizinhança e serviu no grupo de trabalho de Cooperação Inter-religiosa. Ele também está na diretoria da Associação Nacional de Evangélicos.

O relatório do “Futuro da População Muçulmana Global” também prevê que a população muçulmana mundial aumente 35 por cento, ou 1,6 bilhões em 2010 para 2,2 bilhões até 2030.

Isto significa que a população muçulmana no mundo inteiro estaria crescendo o dobro da taxa da população não-muçulmana. Com base nesta previsão, os Muçulmanos fariam até um pouco mais de um quarto (26,4 por cento) do total da população mundial projetada de 8,3 bilhões em 2030. Em 2010, os muçulmanos formam 23,4 por cento da população mundial de 6,9 bilhões.

Notavelmente, o relatório prevê que o Paquistão superará a Indonésia como país que abriga a maior população muçulmana em 2030. A maioria dos muçulmanos do mundo (cerca de 60 por cento) continuarão a se localizar na região da Ásia-Pacífico, enquanto cerca de 20 por cento irá viver no Oriente Médio e África do Norte, que são proporções semelhantes às atuais.

Embora a população de Muçulmanos cresça na Europa e nas Américas, estão previstos permanecerem pequenas minorias nas duas regiões. Projeta-se que os Estados Unidos tenham uma grande população muçulmana em 2030 mais do que qualquer dos países europeus, com exceção da Rússia e França, embora outros países europeus possam ter uma porcentagem maior de muçulmanos. A Rússia está projetada para ter a maior população muçulmana em 2030 com 18,6 milhões de seguidores da religião.

Em geral, os Muçulmanos devem fazer cerca de oito por cento da população total da Europa em 2030, acima dos seis por cento em 2010. No Reino Unido, os Muçulmanos estão projetados para conter 8,2 por cento da população em 2030, acima dos 4,5 por cento hoje. E na Áustria, projeta-se que 9,3 por cento da população seja de Muçulmanos, um aumento de 5,7 por cento em 2010; na França, 10,3 por cento de 7,5 por cento e 10,2 por cento e na Bélgica a partir de 6 por cento.

Curiosamente, prevê-se que quase um quarto (23,2 por cento) da população de Israel seja muçulmana em 2030, acima dos 17,7 por cento em 2010 e 14,1 por cento em 1990. Durante as últimas duas décadas, a população muçulmana em Israel mais do que dobrou, passando de 0,6 milhões em 1990 para 1,3 milhões em 2010.

“[Este] relatório dará forragens aos alarmistas e será explorado por aqueles que pensam que só padrões sociológicos são interessantes,” comentou o Pastor Joel C. Hunter. “A chamada aos Cristãos para evangelizar o mundo continua a mesma, não importa o que outras populações religiosas estejam fazendo, mas esse desenvolvimento irá provavelmente estimular a atenção para o nosso crescimento ou a ausência da mesma.”

O pastor da mega-igreja da Flórida previu que com o crescente esforço para expurgar a religião da sociedade, os evangélicos e a crescente população muçulmana vão encontrar-se em parceria em muitos assuntos morais, na praça pública.

O relatório completo de 209 páginas, contém detalhes sobre os diferentes fatores que estão previstos para contribuir para as mudanças esperadas na população muçulmana do mundo.

[b]Fonte: Christian Post[/b]