O canal Porta dos Fundos resolveu criticar a interpretação da Bíblia de alguns evangélicos criando um vídeo onde um pastor ensina absurdos – como bater em negros e açoitar a mãe, interpretando versículos segundo o seu próprio desejo.

O vídeo foi postado no dia 2 de maio e visto mais de 1 milhão de vezes pelos seguidores do canal. Na descrição do vídeo os humoristas criticam a interpretação que evangélicos fazem sobre os textos sagrados.

[img align=left width=300]http://noticias.gospelprime.com.br/files/2015/05/xgregorio-da-portas-320×178.jpg.pagespeed.ic.1aR7pbePC6.jpg[/img]“A Bíblia é um dos livros sagrados da humanidade. Em suas páginas encontramos histórias e metáforas lindas que nos ajudam a ser pessoas melhores. O único problema é que ela é aberta a interpretações. E quando uma pessoa resolve interpretar literalmente o que diz um livro da Idade do Bronze, o problema tá na pessoa, e não no texto”, diz o canal.

Composto por muitos ateus, o canal diz ainda que “não há entre linha ou ausência de linha que resolva isso [a interpretação errada da Bíblia]. Afinal, ninguém nunca leu Harry Potter e se tacou da janela segurando uma vassoura.”

Sempre que citam assuntos ligados à religião, o Porta dos Fundos recebe muitas críticas dos internautas. “Esse canal virou um lixo mesmo, eles querem propagar o ateísmo goela a baixo”, escreveu um jovem.

O vídeo é uma clara crítica a respeito da pregação dos pastores sobre o homossexualismo, querendo dizer que são os cristãos que espancam os gays se baseando no que a Bíblia diz a respeito da prática.

A tentativa de assemelhar negros (condição) com a prática homossexual (opção) é um discurso comum entre os ativistas que se esquecem – ou fingem não saber – da história de escravidão do Brasil que traz suas consequências até os dias de hoje.

Ao mesmo tempo os humoristas do Youtube tentam invalidar a mensagem divina, dizendo que ela não pode ser aplicada aos dias atuais. Ao falar de humilhar mulheres eles criticam as passagens que falam a respeito da submissão.

O que eles ignoram é que o Livro Sagrado não ensina e nem pede para que negros sejam escravizados, nem que homossexuais sejam mortos ou que as mulheres sejam humilhadas.

[b]Fonte: Gospel Prime[/b]