[img align=left width=297]http://www.mtagora.com.br/files/fotos/mega_noticias/mid/824.jpg[/img]O canal do Youtube Porta dos Fundos vem acumulando uma série de polêmicas por causa das piadas que faz nos vídeos cujo assunto é religião.

Semana passada, publicou um vídeo chamado “Inferno”, que irritou os cristãos. Além da linguagem vulgar, o material apresenta uma visão “positiva” do inferno e mostra o céu como um lugar chato onde nada acontece.

Ontem (3), o novo vídeo, “Defesa pessoal”, do grupo usa a figura de um pastor (que fala como o bispo Edir Macedo) dando uma aula de “defesa pessoal cristã”. Baseado no princípio cristão de “oferecer a outra face”, ao longo dos três minutos e meio do material em questão, ridicularizam quem tem fé.

Ao chegar numa academia onde treinam lutadores de MMA, o pastor Demóstenes (Gregório Duvivier) quer ensinar a “arte marcial da Galileia”. Para ele, a única proteção que as pessoas precisam é Jesus e tenta mostrar tudo que é preciso para vê-lo em ação é a “fé”. Depois de chamar um voluntário, este se recusa a obedecer, dizendo que sua fé não está muito boa.

Em seguida, diante do segundo voluntário, o “pastor” simula como seria uma luta de um cristão com um ‘exu’. Usando expressões relacionadas com MMA, o vídeo termina com Jesus “finalizando” e ficando com o cinturão. Nos diálogos, fica claro a visão do grupo de que todo evangélico é dominado pelo seu pastor, fazendo tudo que ele manda.

O texto de apresentação postado pelo grupo no Youtube diz: “Infelizmente, na História humana a violência é um fator quase onipresente. Não é a toa que todas as culturas desenvolveram uma forma de se defenderem de agressores. Por isso, quando atacado vale seguir aquele ensinamento que é muito citado mas pouco praticado, “ofereça a outra face”, ainda mais se seu agressor estiver todo engomado, com cabelo repartido pro lado e com um livro grosso debaixo do braço”.

Como muitas vezes acontece, o material do grupo dividiu opiniões. Os comentários postados no Youtube mostram a insatisfação de várias pessoas. Eudes Nogueira escreveu “Estão sem roteiro? Acabou a graça? Atacar religiões é a única coisa que sabem fazer agora?”. Enquanto Rute Accioly foi incisiva “e mais uma vez tentando botar os cristãos para baixo com preconceito e modinha… Lamentável, cadê o respeito? Porque não zoa ateu? A é…ateus não zoam ateus”.

Há quem tenha gostado, elogiando Gregório por soar exatamente como os pastores da IURD que possuem programas na TV.

Não é a primeira vez que o grupo imita pastores e tenta ridicularizar os evangélicos. No ano passado, eles travaram uma batalha com o deputado pastor Marco Feliciano por causa do conteúdo de alguns de seus vídeos. O pastor formalizou uma denúncia contra o PDF, que respondeu com vídeos e entrevistas ridicularizando o pastor. Em janeiro desse ano, católicos organizaram uma petição online, exigindo que a cerveja Itaipava pare de patrocinar o canal do grupo. O lema era “Diga à Itaipava para deixar de apoiar o ataque ao Cristianismo!”, num esforço que também conta com o apoio de evangélicos.

Aparentemente, a cervejaria não teme perder o apoio de consumidores religiosos, pois continuou patrocinando o grupo e o “teaser” do vídeo “Defesa Pessoal” postado no Facebook iniciava com o logotipo da empresa e a frase “Itaipava apresenta”.

Se no passado, os vídeos do PDF tinham mais de 10 milhões de acessos, os mais recentes tem média de dois milhões. Embora seja um número expressivo, pode revelar um desgaste da fórmula, o que possivelmente os faça optar por temas “polêmicos” que sempre tem mais repercussão.

[b]Fonte: MT Agora[/b]