A cidade de Nova York realizou neste domingo sua parada anual no Dia do Orgulho Gay, da qual participaram vários líderes religiosos e o prefeito da cidade, Michael Bloomberg, entre outros.

Dezenas de milhares de pessoas que se concentraram para ver o desfile. Grupos de policiais e bombeiros homossexuais percorreram a Quinta Avenida e seus arredores, junto a representantes de minorias étnicas e estrangeiras.

Entre eles estava um grupo de argentinos e paraguaios que incluía um homem fantasiado de Eva Perón.

À frente da parada estavam a rabina Sharon Kleinbaum, da congregação Beth Simchat Torah – a maior sinagoga abertamente gay do mundo – e o reverendo Troy Perry, da Congregação Comunitária Metropolitana.

Segundo Kleinbaum, “defendemos uma voz religiosa progressista” e quem usa a religião para criticar os homossexuais “blasfema o nome de Deus”.

O desfile lembra as revoltas de Stonewall de 1969, quando os clientes de um bar gay do bairro do Greenwich Village enfrentaram a a Polícia em reação a uma operação repressiva.

Fonte: EFE