Há temor de que placa cause tensões e cause constrangimento a judeus que se opõem à visita do pontífice.

A prefeitura de Jerusalém exigiu que a Igreja Católica na Terra Santa retire um cartaz de boas-vindas ao papa Francisco argumentando que “viola as leis municipais”, queixou-se neste domingo à Agência Efe um porta-voz do Patriarcado Latino de Jerusalém.

[img align=left width=300]http://www.operamundi.com.br/media/images/Judeus.jpg[/img]”A prefeitura apresentou uma reivindicação para que retiremos um cartaz que penduramos no Centro de Informação Cristã no qual se lê em três idiomas ‘Bem-vindo à Terra Santa'”, contou à Efe Wadie Abu Nasser, porta-voz do patriarcado e de outras instituições católicas. Sem qualquer tipo de alegoria religiosa, o cartaz anuncia na Cidade Antiga de Jerusalém a chegada de Francisco à Terra Santa e lhe dá as boas-vindas em árabe, inglês e hebraico.

“Não vamos retirar nada”, assegurou o porta-voz, que acrescentou que também não vão “oferecer nenhuma resistência se a polícia retirar o cartaz por ordem municipal”. Segundo Abu Nasser, que hoje acompanhará o patriarca latino Fouad Twal em entrevista coletiva na cidade de Haifa, abordando a histórica peregrinação do sumo pontífice no final de mês, a prefeitura da cidade alega que a colocação do cartaz “requer uma permissão especial”, embora o porta-voz atribua a reivindicação a “razões políticas e não legais”.

O cartaz foi colocado sobre a fachada de um edifício que pertence à Ordem Franciscana, em frente ao Museu da Torre de David, passagem diária de milhares de peregrinos judeus e cristãos em seu caminho ao Muro das Lamentações e ao Santo Sepulcro, na cidadela antiga amuralhada.

Fontes eclesiásticas disseram ao diário Haaretz que o oficial de polícia que pediu a retirada disse que havia o temor de que o cartaz causasse tensões e levasse a uma resposta por parte de judeus que se opõem à visita do pontífice.”Não temos a intenção de enfrentar a ninguém, o cartaz está lá e, se alguém quiser tirá-lo, não resistiremos”, insistiu Abu Nasser minimizando o fato.

[b]Fonte: Opera[/b]