O secretário Municipal de Gestão Governamental e de Ações Sociais, José Antônio Assad e Faria, visitou as instalações do Hospital Evangélico Bom Pastor AD, na manhã desta quinta-feira, 24 de abril. Acompanhado pelo secretário Executivo de Saúde Pública, Cleber Colleone, ele aproveitou a visita para discutir a entrada em operação da parte ambulatorial da unidade hospitalar com o pastor João Martins, da Assembléia de Deus, mantenedora do Hospital.

José Antônio explicou que a Prefeitura de Corumbá repassou, no final do ano passado, a quantia de R$ 100 mil para a compra de equipamentos e materiais necessários para o funcionamento da unidade hospitalar. “Verificamos a chegada dos equipamentos e estamos definindo um plano para o início do atendimento”, disse o secretário.

Administrado pelo Serviço de Assistência Social da Assembléia de Deus, o Hospital Evangélico fica na divisa de Corumbá e Ladário. Localização que permitirá, na avaliação de Assad, “atender a uma população que mora em uma região carente de recursos de saúde”.

Segundo o secretário, a entrada em funcionamento da unidade reforça, ainda mais, as ações da Prefeitura de Corumbá na qualificação dos serviços de saúde pública da região. “Vai aliviar a demanda por atendimento no Hospital de Caridade de Corumbá”, ressaltou José Antônio.

Cleber Colleone, que comanda a Secretaria Executiva de Saúde, pasta vinculada à Secretaria Municipal de Ações Sociais, destacou que as equipes técnicas do Município já trabalham na formatação de um estudo que definirá a operacionalização efetiva da parte ambulatorial do Hospital Evangélico. “Estamos trabalhando passo a passo, seguindo todas as etapas legais”, afirmou.

Equipamentos

O pastor da Igreja Assembléia de Deus, João Martins, informou que com os recursos repassados pela Prefeitura de Corumbá, foram adquiridos aparelho de ultra-sonografia; equipamentos para consultórios médicos e materiais de enfermagem e escritório.

Martins esclareceu que a primeira etapa do projeto de operação da unidade – que já conta com área construída – prevê o funcionamento da parte ambulatorial como a clínica médica e alas de pediatria e odontologia, por exemplo. Para a segunda fase, está prevista a construção de um espaço que irá abrigar cirurgias e internações. A capacidade inicial será de 60 leitos e ainda contará com três centros cirúrgicos.

Fonte: Corumbá Online