O mufti, ou pregador muçulmano, apontado pelo governo da Síria para a província de Deraa renunciou neste sábado em protesto à morte de manifestantes pelas forças de segurança.

“Sendo designado para realizar fatwas (editais religiosos), submeto minha renúncia como resultado da queda de vítimas e mártires por fogo da polícia”, afirmou Rezq Abdulrahman Abazeid à emissora de televisão Al-Jazeera. “Quando eles anunciam em alto e bom som que (manifestantes) não serão alvos de tiros, vemos que a verdade no solo não é essa.”

Abazeid é o primeiro líder religioso sírio a renunciar devido à violenta reprimenda aos protestos atuais. Sua renúncia ocorre após atitude parecida de dois legisladores sírios, ambos de Deraa, que protestaram contra a morte de manifestantes por forças de segurança.

[b]Fonte: Reuters
[/b]