A Assembleia da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos de 2010 pediu ao presidente Barak Obama e ao Congresso que suspendam o uso de bases militares estadunidenses na Colômbia e apoiem o processo de paz.

A 219ª. Assembleia Geral da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos (PCUSA), que se reuniu em Minniapolis de 3 a 10 de julho, incumbiu o secretário-geral da denominação a dirigir carta a Obama e ao Parlamento, pedindo a suspensão das sete bases americana em território colombiano.

A plenária da Assembléia, que contou com a participação de 1 mil pessoas, entre delegados e conselheiros dos presbitérios e ministérios, entendeu que a presença militar dos Estados Unidos no país latino-americano aumenta o nível de violência, gera desconfiança em países vizinhos, além de muitos colombianos entenderem que a movimentação de tropas estrangeiras viola a soberania da sua nação.

Os presbiterianos pedem a Obama e ao Congresso que contribuam para o processo de negociação visando um acordo de paz na Colômbia, que acabe com o conflito interno, que já dura mais de 50 anos.

Também pediu às igrejas membro e às pessoas de boa vontade que intensifiquem as jornadas de oração em favor da paz. Fiéis das igrejas presbiterianas dos Estados Unidos foram incentivados a visitar a Colômbia para monitorar as bases e o seu impacto no país.

Delegação da Igreja Presbiteriana da Colômbia, liderada pelo moderador do Sínodo, reverendo Javier Rodríguez, Heli Barraza, participou da Assembléia da PCUSA.

[b]Fonte: ALC[/b]