O presidente russo, Dmitri Medvédev, propôs ontem que a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, UNESCO, se transforme em tribuna de diálogo inter-religioso.

O líder do Kremlin louvou a decisão da Organização de criar um grupo de alto nível, encarregado do diálogo inter-religioso, e disse que este tema deve ser discutido globalmente. Em reunião com o diretor geral da UNESCO, Koichiro Matsuura, Medvédev citou o exemplo a experiência singular de diálogo inter-religioso na Rússia, “acumulada durante séculos”, e assegurou que em seu país, “são respeitados os direitos de todas as confissões”.

O Kremlin espera que o novo Grupo permita “criar um mecanismo eficaz de consultas entre a ONU e as confissões tradicionais para contribuir na solução de conflitos religiosos, evitar a difamação das religiões e preservar os santuários religiosos que se encontram em áreas de conflito armado”.

O grupo de alto nível da ONU, integrado por diversos líderes religiosos e encabeçado pelo patriarca ortodoxo russo Kiril, se reúne hoje no mosteiro de São Daniel, em Moscou, para deliberar sobre as recomendações à UNESCO e à ONU.

Na reunião, estarão presentes o líder do departamento de muçulmanos do Cáucaso, Xeque Alahshukiur Pashazadé, do Azerbaijão; o secretário geral adjunto da Liga Islâmica Mundial, Mohamad Hayat, da Arábia Saudita; o Grã-rabino de Israel, Yona Metzger, e o rabino norte-americano Arthur Schneider. O representante da Igreja Evangélica da Alemanha será Martin Schindehutte, e em nome da Igreja Católica, estará na reunião o arcebispo Antonio Menini, Núncio apostólico junto à Federação russa.

Fonte: Rádio Vaticano