Foi preso na manhã desta terça-feira às 7h dom Marcos de Santa Helena, religioso acusado de pedofilia.

O delegado Fabricio de Santis cumpriu mandado de prisão temporária contra o autodenominado bispo, João Marcos Porto Maciel, 74, que foi levado para a delegacia de Caçapava do Sul.

[img align=left width=300]https://s2.yimg.com/bt/api/res/1.2/2j8i.CLQypn.7stMB6ymYA–/YXBwaWQ9eW5ld3M7cT04NTt3PTYzMA–/http://l.yimg.com/os/publish-images/news/2014-12-09/99d45020-7fd4-11e4-9804-254fb902735a_bispo_joaomarcosmaciel_ae_grande.jpg[/img]”Ele não é um religioso, mas um criminoso. Veste-se de padre para praticar crimes há mais de 50 anos sem levantar suspeitas”, diz o delegado. À frente da operação intitulada Silêncio dos Inocentes, desencadeada pela série de denúncias publicadas pela Folha, Santis ouviu oito vítimas do ex-padre, expulso da Igreja Católica em 2009 e que hoje dirige um mosteiro na cidade gaúcha.

Além dos depoimentos de Marcelo Ribeiro, 48, autor do livro “Sem Medo de Falar – Relato de uma Vítima de Pedofilia”, e do violoncelista Alexandre Diel, 42, que vieram a público denunciar o religioso, o inquérito levantou outros casos, como o de um menor de 17 anos, que sofreu abuso aos 11 por dom Marcos. “Temos o caso também de uma vítima que relatou ter sido abusado em 1961, o que nos leva a crer que ele atua como pedófilo há mais de 50 anos impunemente”, diz o delegado.

No momento da prisão, os policiais recolheram também um menor que chegava ao mosteiro para ter aulas de flauta. Acompanhado de uma psicólogo, ele será ouvido no inquérito.

Em entrevista à Folha, dom Marcos se declarou inocente e se disse vítima de perseguição. Sobre o fato de homens adultos acusá-lo publicamente de abuso, ele disse: “Isso é moda. Pedofilia dá status, eles estão querendo se equiparar à moda”. E concluiu: “Pela quantidade de meninos que passaram pelas minhas mãos, uns 8.000, 10 mil meninos, acho que é muita pouca lambança isso aí. Tem um saldo muito bom. As denúncias é uma fichinha, em vista das coisas boas”.

[b]Fonte: Folha de São Paulo e Yahoo[/b]