Um sacerdote católico reformado que se encontrava indiciado pela prática de 33 delitos de abuso sexual no colégio onde lecionou foi detido na Austrália pela acusação de 60 novos casos de pedofilia, anunciou a polícia local.

Brian Spillane, ex-capelão e professor da escola católica de San Estanislao, em Bathurst, no estado australiano da Nova Gales do Sul, estava até terça-feira em liberdade condicional, estando previsto que comparecesse em tribunal dentro de duas semanas, mas acabou detido esta noite no seu domicílio.

A detenção enquadra-se na investigação iniciada em agosto pela polícia australiana em relação a uma rede de religiosos e professores que supostamente abusaram de cerca de 40 menores durante sete anos na década de 1980, quando os meninos eram alunos naquele colégio.

Outro sacerdote de 81 anos foi acusado de haver abusado sexualmente de um acólito há 40 anos na Nova Gales do Sul, onde as forças de segurança também detiveram o pastor John Sidney Denham, de 65 anos, professor de uma escola secundária, por suposta atividade imprópria com 18 meninos entre os anos de 197 e 80.

Mais de uma centena de membros da Igreja Católica australiana foram condenados por abusar sexualmente de um milhar de vítimas, segundo cálculos da organização «Broken Rites».

Na sua visita à Austrália em Julho passado, o papa Bento XVI reuniu-se com algumas das vítimas, a quem pediu perdão em nome da Santa Sé.

Fonte: TSF – Portugal