A Polícia Federal (PF) prendeu ontem. Leandra Berlando dos Santos e Antônio Filho Alves, considerados os maiores receptadores de peças sacras furtadas no Rio e em Minas Gerais. Leandra e Alves são acusados de serem integrantes de uma quadrilha especializada em roubo de obras religiosas.

A prisão aconteceu na segunda etapa da Operação Santo Antônio. Na semana passada, a polícia prendeu Anderson Lerry Batista Martins, de 27 anos, suspeito de passar-se por padre ou seminarista para levar as peças. Martins havia sido preso em 2005 por roubar dois tocheiros (castiçais) da Catedral Metropolitana do Rio, fazendo-se passar por “diácono Marcos”. Na ocasião, colaborou com as investigações, recebeu o benefício da delação premiada e ficou em liberdade. “De lá para cá, continuou atuando. Acredito que ele tenha participação direta em 90% dos furtos no Rio de Janeiro”, afirmou o delegado Alexandre Saraiva, da Delegacia de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente e o Patrimônio Histórico (Delemaph)

Preso em Muriqui, litoral sul do Estado, Martins confessou, de acordo com a polícia, ter furtado objetos do acervo da Igreja de Bom Jesus da Coluna, na Ilha do Fundão, zona norte da capital fluminense, e da Capela de São Francisco, em Angra dos Reis, no litoral sul. Da Igreja de Bom Jesus da Coluna, os policiais recuperaram a imagem de um anjo tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Saraiva recebeu a informação de que outra peça tombada, um Menino Jesus levado da Capela de São Francisco, está em São Paulo. “Pelas nossas informações, a quadrilha rouba no Rio e em Minas Gerais e revende para São Paulo. Estamos tentando recuperar”, afirmou.

Fonte: A Tarde Online