A Igreja Episcopal dos Estados Unidos (ECUSA, a sigla em inglês) tem até o dia 30 de setembro para se pronunciar formalmente à Comunhão Anglicana a respeito da sagração de clérigos homossexuais e a bênção pública sobre uniões de pessoas do mesmo sexo.

Questões relacionadas à sexualidade humana e à hermenêutica bíblica tomaram a maior parte da pauta do encontro dos bispos primazes da Comunhão Anglicana, reunido em Dar Es Salam, Tanzânia, de 15 a 20 de fevereiro, sob a presidência do arcebispo de Cantuária, Rowan Douglas Williams.

Em novembro de 2003, a ECUSA consagrou, em cerimônia realizada no auditório da Universidade em Durham, o sacerdote Gene Robinson (foto), um homossexual assumido, como bispo coadjutor de New Hampshire. Primazes do hemisfério Sul lamentaram a consagração de Robinson e apoiaram os bispos dissidentes da ECUSA, contrários a esse ato, o que aprofundou a crise na Comunhão Anglicana.

No encontro de Dar Es Salam os primazes decidiram a criação de um Conselho Pastoral, composto por cinco líderes anglicanos, que terá por tarefa supervisionar na ECUSA as paróquias e dioceses que não aceitam a lideranças da igreja em razão das diferenças de ordem doutrinária e moral.

Os primazes também determinaram que fiquem em tempo de espera todos os processos em curso contra dioceses nos Estados Unidos decorrentes daquele fato gerador. Das 130 dioceses da ECUSA, 17 têm discrepâncias com a liderança nacional da igreja.

A tensão entre conservadores e progressistas ficou evidente na reunião de Dar Es Salam. Pelo menos sete primazes do Global South, movimento que questiona práticas pastorais que violam o que entende por ordem moral, não participaram das celebrações eucarísticas durante o encontro porque as Províncias que representam estão de relações estremecidas com a ECUSA.

Ainda assim, o encontro de primazes “foi um momento de escuta fraterna a respeito da atual situação que a Comunhão Anglicana está vivendo”, definiu o bispo primaz da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB), dom Maurício José Araújo de Andrade, para a ALC. Pela primeira vez na história o Conselho Consultivo Anglicano reuniu-se, em duas sessões em Dar Es Salam, com o arcebispo de Cantuária e os primazes.

“Esse fato é um sinal concreto da busca da unidade, mesmo no debate das questões polêmicas”, apontou Andrade, lembrando que os anglicanos têm no arcebispo de Cantuária, nos primazes e no Conselho Consultivo elementos formais da unidade.

Também foi aprovado em Dar Es Salam um rascunho de um “Pacto Anglicano”, que será apreciado pelas 38 Províncias anglicanas espalhadas pelo mundo, que será submetido à Conferência de Lambeth e encaminhado para aprovação pelo Conselho Consultivo Anglicano, em 2009.

O “Pacto Anglicano” reafirma os princípios do Relatório de Windsor, concluído em 2005 por comissão constituída pelo arcebispo de Cantuária. O relatório trata, entre outros, de questões relacionadas à sexualidade humana.

O envolvimento da Comunhão Anglicana nas metas do milênio foi outro tema que ganhou destaque na reunião dos primazes em Dar Es Salam. O assunto é de tal importância na pauta anglicana que convocaram conferência internacional para Boskburg, nas proximidades de Johannesburgo, na África do Sul, dias 7 a 14 de março, para tratar exclusivamente da missão e as metas do milênio.

Fonte: ALC