O primeiro dirigente cristão do partido fundamentalista Frente de Ação Islâmica (FAI), principal força de oposição na Jordânia, renunciou devido às reações “religiosas e sociais” a sua nomeação, informaram hoje fontes do partido.

A renúncia de Aziz Masaadeh aconteceu apenas uma semana depois de ele ter sido eleito membro da direção da FAI em Amã.

“Minha eleição para o comitê administrativo provocou uma campanha de rumores que pretendem ofender minha reputação”, disse Masaadeh em carta enviada à sede de seu partido.

Em entrevista publicada pelo jornal “Alghad”, Masaadeh afirmou que alguns destes rumores o acusavam de ter se convertido ao Islã.

“Não esperava que minha eleição provocasse esse tipo de reações religiosas e sociais que me obrigaram a renunciar”, acrescentou.

Masaadeh revelou que 33 cristãos pediram para entrar na FAI, mas apenas três foram aceitos.

O subsecretário-geral do partido, Rahil Gharaibeh, se mostrou surpreso com a renúncia de Masaadeh e afirmou que o dirigente havia sofrido “pressões de certos círculos descontentes com sua nomeação”.

“Orgulhamo-nos de ser um partido político e não religioso que combate a discriminação religiosa, étnica e sectária”, acrescentou.

Fonte: EFE