O primeiro-ministro da Irlanda do Norte, Ian Paisley, vai abandonar o seu posto de chefe da Igreja Presbiteriana Livre, que fundou em 1951, anunciou neste sábado um porta-voz da sua família.

Aos 81 anos, o reverendo protestante, que aceitou em Maio último partilhar o poder com os seus antigos inimigos – os católicos do Sinn Fein – num governo regional, decidiu demitir-se, após ter dirigido a organização fundamentalista durante 56 anos.

“Foi ele que o decidiu e está muito feliz”, declarou o porta-voz, após a reunião anual da Igreja, sexta-feira à noite, em Belfast.

A sua demissão foi anunciada numa altura em que se erguiam vozes contra o fato de Paisley ocupar simultaneamente os postos de primeiro-ministro e de chefe da Igreja Presbiteriana.

Conhecida pela sua oposição ao ecumenismo e pelas suas regras morais rígidas, a Igreja conta com cerca de 12.000 fiéis, na sua maioria no Ulster.

O Partido Unionista Democrata, protestante conservador, do revendo Paisley defende que a Irlanda do Norte permaneça integrada no Reino Unido, enquanto o Sinn Fein pretende a reunificação com a Irlanda.

Fonte: Diário Digital / Lusa