A procissão do Círio de Nazaré terminou por volta de 13h30 deste domingo, na Basílica de Nazaré, em Belém (PA), com poucas ocorrências policiais. Segundo a Polícia Militar, foram registrados apenas três casos de roubo e furto ao longo da procissão. A corporação estima em 2 milhões o total de pessoas que participaram do evento.

Os fiéis fizeram o percurso de 3,6 km entre a Catedral da Sé, no bairro da Cidade Velha (região central), até a praça Santuário de Nazaré, onde fica a Basílica. No trajeto, os participantes do Círio passaram pela tradicional feira de comércio popular Ver-o-Peso.

A PM montou um esquema especial para o evento, com 800 policiais, para garantir a segurança dos fiéis. Eram esperados ainda 76 mil turistas de outros Estados.

O Círio movimenta neste ano, no comércio, na indústria e em serviços, aproximadamente R$ 600 milhões, 10% a mais do que no ano passado. O orçamento da festa também foi recorde: R$ 1,7 milhão, 24% a mais do que em 2007.

Às 18h e às 19h30, duas missas serão realizadas em Belém em homenagem à Virgem. Também a partir das 19h30, ocorre na Concha Acústica da praça a primeira apresentação do Círio Musical, que apresentará músicos católicos nacionais entre a noite de hoje e o dia 26 de outubro. A primeira a se apresentar é Suely Façanha, da Comunidade Shalom.

História

A devoção a Nossa Senhora de Nazaré teve início em Portugal. A imagem original da pertencia ao Mosteiro de Caulina, na Espanha, e teria saído da cidade de Nazaré, em Israel, no ano de 361, tendo sido esculpida por São José.

No Pará, em 1700, às margens do Igarapé Murutucu (onde hoje se encontra a Basílica Santuário de Nazaré), o caboclo Plácido José de Souza encontrou uma pequena imagem da santa, que passou a ser reverenciada. Em 1792, foi autorizada pelo Vaticano a realização da primeira procissão oficial, em Belém, em homenagem à Virgem de Nazaré.

O Círio de Nossa Senhora de Nazaré acontece em Belém desde o dia 8 de setembro de 1793, quando ainda era realizado nas tardes de quarta-feira. De lá pra cá, são mais de 200 anos de devoção e homenagens à padroeira dos paraenses.

Fonte: Folha Online