A grande quantidade de buracos nas ruas de Araçatuba (530 quilômetros de São Paulo) obrigou a Igreja Católica a cancelar a procissão da Semana Santa, o evento religioso mais tradicional da cidade, que, há quatro décadas, percorre todos os anos as ruas do bairro São João, onde fica a Paróquia de São João e São Judas Tadeu.

Nas três missas de domingo, o padre Sineval Plácido da Silva, responsável pela paróquia, surpreendeu os fiéis ao avisar que a Procissão do Senhor Morto, que seria realizada na Sexta-Feira Santa, não acontecerá mais porque as “ruas estão muito danificadas”.

Padre Sineval afirmou que se trata de uma prevenção. Ele não quer que ocorram os mesmos acidentes da procissão de 2007, quando alguns fiéis tropeçaram e se machucaram depois de cair nos buracos. “Devido ao acúmulo de pessoas, todas enfileiradas, a luminosidade é pequena e as pessoas podem tropeçar”, disse. Outro temor é de que as imagens – de Cristo e de Nossa Senhora das Dores, possam cair se algum fiel, que carrega o andor, tropeçar.

Na saída das missas, muitos fiéis concordaram com o padre, como o pecuarista Alfredo Neves Filho. “A cidade está esburacada mesmo e o padre quer zelar por seus fiéis; ele tem razão”, afirmou. Mas o aviso do padre teve repercussão onde deveria. No começo da tarde de hoje, equipes do Departamento de Obras da prefeitura de Araçatuba tapavam os buracos na frente da Igreja de São João.

O secretário de Obras, Sérgio Mele, disse que recebeu a ligação de um fiel e que, até quinta-feira, acabaria de tapar os buracos no trajeto de dois quilômetros que a procissão percorre. O padre, que não quis comentar o assunto, mandou dizer que não mudará de opinião e que a procissão, continua cancelada.

Fonte: Agência Estado