As programações oficiais da Sexta-Feira Santa, em Belém (PA), foram marcadas pela mistura de religiões. Não foram só os católicos que se uniram para relembrar o sacrifício de Jesus.

Integrantes de movimentos afro-religiosos se juntaram aos mais de 5 mil fiéis que acompanharam as procissões da manhã e do sermão das Sete Palavras, único celebrado no País e que acontece há 151 anos.

Entre os mais fervorosos participantes estava José Alves Duarte, 31 anos. Seguidor do candomblé, ele conta que acompanha a procissão desde os 7 anos de idade. “Infelizmente muita gente que faz parte dessas religiões só pensa em fazer maldade, mas têm pessoas que seguem a tradição de participar das programações da Semana Santa. É um ato que representa a misericórdia de Deus”, disse ele.

Descalço e vestido de branco, Duarte acompanhou toda a procissão de Nossa Senhora das Dores, que seguiu pelo centro histórico da cidade, até o encontro da Procissão do Senhor dos Passos, na Igreja das Mercês. O momento é o mais emocionante da programação, quando as imagens se encontram representando o encontro de Maria com o filho a caminho do calvário. “Para mim não tem diferença de religião, todos cultuamos o mesmo Deus”, ressalta.

Católico praticante, o aposentado Oswaldo da Costa Conceição, 69 anos, acompanha as procissões sozinho, mesmo com dificuldade de locomoção. “Antigamente acompanhava todo o trajeto, mas hoje, devido ao defeito na perna, por conta de um acidente, venho e só vejo o encontro. É um momento que traz paz ao espírito e nos remete à reflexão”, acredita o aposentado.

Depois do encontro das imagens, os fiéis seguiram em direção à Igreja do Carmo, co-catedral de Belém e, em seguida, para a capela do colégio Santo Antônio, onde foi proferido, pelo Chanceler da Arquidiocese de Belém, padre Ronaldo Menezes, o Sermão das Sete Palavras ou Três Horas de Agonia.

O sermão lembra as sete palavras ditas por Jesus antes de ser crucificado. A celebração é a única, de forma concentrada, que a Igreja tem notícia no País e é realizada há 151 anos.

Fonte: Terra