De acordo com o relato de uma voluntária do Conselho Tutelar, o motivo da procuradora Vera Lúcia Gomes querer adotar a criança seria usá-la em um sacrifício para uma religião satânica. O Ministério Público pediu a prisão preventiva da procuradora, na terça-feira.

Vera Lúcia não é vista no edifício, em que reside, em Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro, desde terça-feira.

O Ministério Público anexou imagens que comprovam que a menina de dois anos foi agredida violentamente. Os olhos da vítima aparecem com hematomas e muito inchados. A procuradora foi indiciada por tortura e racismo.

Fonte: Gospel +