O reitor da Universidade Islâmica de Al-Azhar, Ahmed al-Tayeb, propôs hoje a criação de um canal de televisão por satélite no Egito para controlar o grande número de “fatwas”, ou publicações religiosas.

“Este canal deveria ser controlado por Al-Azhar” (autoridade máxima do Islã sunita) para pode enfrentar a grande quantidade de ‘fatwas’ emitidas por causa de dinheiro ou de pessoas em busca da fama, o que ofende o Islã e a sociedade”, afirmou Tayeb à agência egípcia “Mena”.

Nos últimos anos ocorreu uma verdadeira invasão de “fatwas” emitidas por todo tipo de clérigos, tratando de qualquer assunto, como casamentos, juros bancários ou a retirada do clitóris.

Entre as “fatwas” mais polêmicas está a que proíbe esculturas que representam o corpo humano ou animal e outra que impede um homem e uma mulher de trabalharem juntos num mesmo espaço, a menos que ela o tivesse amamentado pelo menos cinco vezes.

Esses tipos de “fatwas” deram lugar a publicações religiosas contrárias, que tornaram evidentes o choque entre o Islã conservador e o que tenta se adaptar à modernidade.

Tayeb disse na entrevista que apenas os clérigos com títulos da Universidade Islâmica de Al-Azhar podem emitir fatwas.

O clérigo também afirmou que o Islã é alvo de uma campanha de difamação, feita principalmente pelo Ocidente. Ele anunciou a criação de um site para defender a religião da propaganda enganosa.

Fonte: EFE