Gillian Gibbons, a professora britânica que ficou detida no Sudão por permitir que seus alunos chamassem um urso de pelúcia de Maomé, dará aulas agora na China.

Gill Langworthy, uma amiga da professora, confirmou neste sábado que Gibbons viajará à China em duas semanas para trabalhar em uma escola próxima a Pequim. “Esperamos que desta vez não termine em prisão’, brincou Langworthy em entrevista à agência PA.

“Gillian está realmente entusiasmada. Está um pouco nervosa, mas tem entusiasmo”, acrescentou a amiga da professora.

Gibbons, de 54 anos, retornou ao Reino Unido em 4 de dezembro após receber o indulto do presidente sudanês, Omar al Bashir. A professora conseguiu o indulto depois que dois parlamentares muçulmanos britânicos, Nazir Ahmed e Sayeeda Warsi, se reuniram com Bashir para pedir sua libertação.

Ela tinha sido detida por deixar que seus alunos, de 6 e 7 anos, colocassem o nome do profeta Maomé em um urso de pelúcia.

Poucos dias depois, foi acusada de ofender a religião e incitar ao ódio. A professora foi condenada a quinze dias de prisão.

Gibbons, que tinha começado a trabalhar no Sudão em agosto, foi detida depois que as autoridades sudanesas receberam várias queixas dos pais.

Fonte: Folha Online