Uma professora de Capanema, a 160 quilômetros de Belém do Pará, está sendo processada por pais de alunos porque pediu às crianças que fizessem uma pesquisa sobre palavrões, segundo informações do Fantástico, da TV Globo. Da turma de 35 alunos, três famílias foram à Justiça.

De acordo com a professora Raimunda Gomes Castro, “eles (os alunos) estavam muito alvoroçados, falando todas aquelas baboseiras, e eu mandando eles se comportarem. Eles não queriam se comportar”, afirmou.

Raimunda, que é evangélica, pediu exemplos dos palavrões mais usados pelos próprios alunos. “Eu fui só transcrevendo na lousa. Com um dicionário, mediante a minha orientação, eles foram procurar os conceitos de cada palavra”, contou.

Os estudantes levaram o trabalho para terminar em casa e o pai de um garoto de 10 anos estranhou o comportamento do filho, que não queria mostrar o caderno. Quando viu o que estava escrito, o pai rasgou a lição. “Eu acho que foi um ato muito infeliz dela. Um ato impensado porque ainda não era o momento pelo fato da turma ser de criança até 11 anos de idade”, opinou o delegado da Polícia Civil do Pará Samuel Alencar da Silva.

A professora não se conformou e fez um desabafo. “Estou sendo processada porque tive a ousadia de colocar o meu aluno, mediante um dicionário que faz parte do material escolar em uma sala de aula.”

Fonte: Estadão