Os programas veiculados pela Igreja Universal na TV Record vêm registrando quedas significativas de audiência ao longo dos últimos quatro anos.

Segundo levantamento feito a partir de dados do Ibope pelo jornalista Ricardo Feltrin, do portal Uol, a programação religiosa da Universal nas madrugadas da Record teve uma queda de 40% entre 2010 e 2014.

[img align=left width=300]http://i0.wp.com/noticias.gospelmais.com.br/files/2015/01/Fala-Que-Eu-Te-Escuto-diretores-record.jpg[/img]O índice de audiência dos programas da denominação, como o Fala que Eu Te Escuto, por exemplo, era de 1,5 ponto na Região Metropolitana de São Paulo em 2010, e em 2014, a média ficou em 0,9 ponto.

Feltrin explica em seu artigo que “essa é a pior média das atrações religiosas desde 2007, quando a média da madrugada foi de apenas 1 ponto”. Nas medições feitas pelo Ibope, cada ponto em São Paulo equivale a 67 mil domicílios.

A denominação do bispo Edir Macedo – proprietário da TV Record – adotou uma estratégia midiática bastante agressiva nos últimos anos, locando horários em outras emissoras, como Band, Gazeta, RedeTV! e o Canal 21.

Esse posicionamento pode ter sido tomado para amenizar a queda da audiência na Record, ou para diversificar o público e, aos poucos, deixar de veicular programas na emissora “sede”, conforme se ventila entre os jornalistas especializados em televisão.

“A decisão de tirar a programação da Universal das madrugadas já foi estudada várias vezes pela direção [da emissora]”, escreveu Feltrin.

A queda nos últimos quatro anos não foi consecutiva, segundo Feltrin. Em 2010, a média era de 1,5 ponto, enquanto que em 2011 houve uma subida mínima, para 1,6 ponto. No ano seguinte, foi registrado 1,3 ponto de média, enquanto que em 2013 uma nova queda levou a média para 1,1 ponto, até chegar a 0,9 em 2014.

“Parece uma audiência pequena, mas a faixa das madrugadas faz uma diferença enorme contra a Record e a favor do SBT. É justamente nas madrugadas que a TV de Silvio Santos às vezes registra quase o dobro da audiência da concorrente, isolando-se em segundo lugar. Na média das 24 horas do dia, essa faixa – a madrugada – faz um impacto grande na média geral de Ibope, e é somente por isso que até hoje a Record, apesar de nominalmente ser a vice-líder, continua com o SBT em seus calcanhares”, observou o jornalista.

[b]Fonte: Gospel +[/b]