A decisão do Tribunal Constitucional turco de proibir o uso do véu islâmico nas universidades constitui uma violação da liberdade religiosa, afirmou neste sábado a organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch (HEW).

O veredicto, emitido na quinta-feira, anula uma emenda constitucional muito polêmica que autorizava o véu nos estabelecimentos universitários por considerar que vai contra o caráter laico do país.

“Essa decisão significa que as mulheres que decidirem usar o véu na Turquia serão obrigadas a escolher entre sua religião e a educação”, declara em um comunicado Holly Cartner, diretora da HRW para Europa e Ásia Central.

“É realmente decepcionante e isso não indica nada benéfico para o processo de reformas”, acrescenta.

O Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP, no poder), que havia defendido a emenda apesar das críticas, estimou que o Tribunal Constitucional havia ultrapassado suas funções.

Segundo o AKP, a proibição do véu na universidade viola a liberdade de consciência e o direito a educação.

As forças laicas, começando pelo exército, os juízes e as universidades, consideram o véu um símbolo de um islã político e uma violação da separação entre Estado de religião.

Fonte: AFP