A Câmara analisa projeto de deputado federal que reconhece a arte evangélica como cultura no Brasil.

A Câmara analisa o Projeto de Lei 58/11, do deputado Lourival Mendes (PTdoB-MA), que reconhece a arte evangélica como cultura no Brasil, desde que ela não tenha conotação de culto religioso.

O parlamentar é autor de uma lei maranhense (Lei dos Eventos Gospel, 8.431/06) com teor semelhante. Segundo ele, a arte evangélica “compreende vigília, marchas proféticas, música, gravação de CDs, publicação de livros, dança, artes plásticas, shows e eventos”.

[b]Evolução cultural
[/b]
O autor da proposta observa uma “explosão da arte evangélica como cultura, valorizando as diversidades de gêneros musicais existentes no Brasil”. De acordo com ele, a mídia religiosa é o maior veículo de disseminação dessa cultura.

Mendes argumenta: “Este projeto de lei consolida, de uma vez por todas, a pretensão do povo evangélico deste País, que quer ver os seus direitos culturais, de fato já aprovados pela sociedade, agora pelos poderes constituídos, como reconhecimento do processo de evolução da nossa cultura”.

[b]Tramitação
[/b]
O projeto tramita pelas comissões de Educação e Cultura; e de Constituição e Justiça e de Cidadania, em caráter conclusivo.

Íntegra da proposta:

[url=http://www.camara.gov.br/internet/sileg/Prop_Detalhe.asp?id=490976]PL-58/2011[/url]

[b]Fonte: Agência Câmara[/b]