A Promotoria de Bruxelas, na Bélgica, encontrou documentos relacionado ao pedófilo e assassino Marc Dutroux, condenado à prisão perpétua, durante buscas no arcebispado de Bruxelas-Malinas, em um caso separado de abuso sexual de crianças por sacerdotes. A informação é do jornal “Het Laatste Nieuws”.

Segundo o jornal flamengo, entre os documentos estão dezenas de fotografias da exumação dos corpos das meninas Julie e Melissa, ambas de oito anos, que Dutroux enterrou no jardim de sua casa. As meninas foram estupradas em várias ocasiões e morreram de inanição.

Ele foi detido em 1996 e só foi condenado em 2004, pelo sequestro e violação de nove jovens e meninas, pelo assassinato de quatro delas e de um cúmplice.

Seu caso foi um dos mais traumáticos da Bélgica, que rotulou o criminoso como o homem mais odiado do país. O escândalo gerou diversas manifestações contra a ineficiência policial e judiciária na investigação e julgamento. O governo belga cedeu ao apelo público e promoveu reformas endurecendo a legislação para casos de pedofilia.

Segundo a publicação, essas “peças judiciais confidenciais” foram localizadas durante a blitz realizada em 24 de junho passada no palácio episcopal de Malinas, dentro da investigação de um caso de abuso sexual de crianças por membros da Igreja Católica. Na época, o Vaticano criticou as operações e disse estar em choque e indignado.

O porta-voz da Conferência dos Bispos, Eric De Beukelaer, pediu “prudência” diante da revelação do “Het Laatste Nieuws”.

Fonte: Folha Online