As autoridades do Uzbequistão negam que haja perseguições religiosas no país. Os cristãos, porém, continuam sendo presos e multados, apenas porque possuem um exemplar da Bíblia, ou porque se reúnem para orar ou até mesmo para festejar um aniversário.

A protestante Sharofat Allamova foi presa em agosto passado porque tinha nas mãos um exemplar do Novo Testamento, além de outros livros e discos cristãos.

No mesmo mês, um pastor foi multado porque estava pregando numa igreja, exercendo assim, segundo a polícia, “atividade religiosa ilegal”.

No dia 13 de agosto, em Termez, a polícia interrompeu a festa de aniversário do protestante Vitaly Suvorov, e levou todos os convidados para a delegacia. Eles ficaram detidos durante toda a noite.

A polícia alegou que o grupo foi preso por “reunião ilegal para professar a fé”, e por distribuição ilegal de material de literatura religiosa.

A vice-ministra da Justiça, Klara Alasheva, negou a ocorrência de perseguições religiosas no Uzbequistão. Numa entrevista à agência de notícias “Fórum 18”, disse que “não há problemas” para aqueles que solicitam o próprio registro.

O registro junto ao governo é obrigatório para os grupos religiosos. “Temos uma Constituição que reconhece a liberdade religiosa, mas temos também uma lei”, finalizou a ministra, que não quis comentar casos isolados.

Fonte: Portas Abertas