Eles querem evitar que autoridades retirem cruz da igreja em Huzhou. Os manifestantes foram se revezando nas últimas semanas no telhado.

Um grupo de 20 cristãos completou nesta sexta-feira (7) um mês de protesto no telhado de uma igreja da cidade de Huzhou, na província chinesa de Zhejiang, para evitar que as autoridades retirem a cruz do campanário, informou a ONG de direitos humanos China Aid.

O grupo, que na quarta-feira viu a polícia militar chinesa cercar a Igreja Jinjiaer com a intenção de despejá-la e retirar a cruz, passa dia e noite no telhado do templo desde o início de julho, quando seus membros emitiram um comunicado no qual prometeram defender o local.

Os manifestantes foram se revezando nas últimas semanas no telhado, e alguns deles chegaram a ameaçar pular se o governo local continuar com seus planos de retirar a cruz.

As autoridades detiveram pelo menos sete deles, pertencentes a uma comunidade protestante denominada Amor Sagrado, enquanto os que continuam no alto estão cada vez mais frágeis devido ao forte calor e à umidade, assinalaram porta-vozes do grupo.

O protesto acontece em um momento de intensa campanha de retirada de cruzes públicas por parte das autoridades de Zhejiang, uma das províncias chinesas com maior número de comunidades cristãs protestantes.

O governo provincial defende que a retirada destes símbolos, que já começou no ano passado, se deve unicamente a razões de segurança, enquanto grupos cristãos asseguram que se trata de um ataque à liberdade religiosa.

Calcula-se que na China há 60 milhões de cristãos, embora mais da metade deles (37 milhões) se agrupem em congregações não filiadas ao governo, razão pela qual em algumas ocasiões se consideram perseguidos.

[b]Fonte: G1[/b]