Cerca de 100 pastores das igrejas Batista, Universal, Sara Nossa Terra, Quadrangular e Batista Primitiva participaram do evento.

Numa resposta ao evento realizado pelos tucanos, na semana passada, no Recife, as lideranças evangélicas ligadas ao PT em Pernambuco se reuniram nesta manhã (29) num hotel em Boa Viagem, para esclarecer o que classificam como boatos contra a campanha da candidata Dilma Rousseff (PT).

Cerca de 100 pastores das igrejas Batista, Universal, Sara Nossa Terra, Quadrangular e Batista Primitiva participaram do evento, que contou com as presenças do senador eleito Walter Pinheiro (PT/BA) e do senador Magno Malta (PR/ES).

“Não podemos permitir essa manipulação, essa utilização da fé para desequilibrar o processo eleitoral”, afirmou o deputado federal e senador eleito da Bahia, Walter Pinheiro (PT), evangélico da Igreja Batista.

O coordenador da campanha de Dilma em Pernambuco, o deputado federal eleito João Paulo, também participou da reunião.

Para o senador Magno Malta (PR), do Espírito Santo, também membro da Igreja Batista, os supostos boatos envolvendo Dilma e temas religiosos foram uma covardia para iludir os evangélicos mais simples.

“Uma avalanche de mentiras encaminhou uma discussão que não é a nossa, nós não vamos eleger um bispo ou um padre, vamos eleger alguém para governar o país”, afirmou.

Walter Pinheiro lembrou que a legislação referente a esses temas será discutida no Congresso e não na Presidência da República, ressaltando que a candidata petista já deixou claro, na carta aberta aos evangélicos, como vai se posicionar em relação a esses temas.

“Eu quero que ela seja presidente para continuar o belo trabalho desses oito anos, esse resgate de vida que hoje acontece no Brasil. Quem é verdadeiramente cristão tem que pensar nisso.”

A revista Cristã brasileira foi distribuída durante o evento. A reportagem de capa mostra ‘como Dilma Rousseff ganhou o apoio dos evangélicos’.

O pastor e vereador por Jaboatão, Vilalba de Jesus, avaliou que a carta aberta de Dilma a essa parcela do eleitorado teve uma importância fundamental para a recuperação dos votos perdidos em função dos supostos boatos. Na verdade, Dilma defendia o aborto antes das eleições e depois mudou de ideia, por questões eleitorais.

Também participaram da reunião: Márcio Marinho (PRB), deputado federal da Bahia; o vereador de Jaboatão dos Guararapes, Eliezer da Silva (PRB); o coordenador da Igreja Sara Nossa Terra em Pernambuco, o pastor Humberto Teixeira, um dos organizadores do evento; e o bispo da Igreja Universal e coordenador político da instituição, Ossesio Silva.

[b]JC online
[/b]