O partido quer saber quem são os responsáveis por um e-mail que usa o seu nome para criticar a práticas religiosas.

A seção paulista do PT informou nesta terça-feira (19) que pediu à Justiça Eleitoral e ao Ministério Público para descobrir os responsáveis por um e-mail que usa o nome do partido para criticar a Igreja Católica e práticas religiosas. De acordo com os petistas, a mensagem é assinada por um “blog falso”. A legenda também registrou boletim de ocorrência pelo caso.

“A origem de tais mensagens é desconhecida e desautorizada pela direção do partido. O PT-SP salienta que, além de não endossar esse tipo de conteúdo, repudia a propagação de quaisquer ataques pessoais ou direcionados a instituições religiosas, crenças ou práticas religiosas individuais”, disse em nota o presidente do PT paulista, Edinho Silva.

No texto, sem dar detalhes sobre os ataques, o PT-SP afirma que se trata de “mais um dos episódios da campanha disseminada no submundo do atual processo eleitoral que tem por objetivo atacar o PT e a imagem da candidata Dilma [Rousseff]”.

A sigla disse ainda que está “superado” o episódio dos panfletos divulgados por setores da Igreja Católica, com ataques ao partido e à presidenciável. Em reunião no interior paulista, religiosos que divulgaram um texto anti-Dilma afirmaram em nota que não imprimiram nem patrocinaram panfletos desse tipo.

Ainda assim, o PT disse que “continuará denunciando e exigindo providências legais contra aqueles que escolheram as trevas em vez da luz da democracia; que escolheram a mentira e os ataques pessoais em vez do debate de projetos e de propostas para o Brasil”.

“Nós continuamos com a nossa convicção de que tais práticas não devem prosperar porque elas alimentam uma cultura de disputa política contraditória com a tradição pacífica e ética do povo brasileiro”, afirma Edinho no texto.

[b]Fonte: UOL
[/b]